Páginas

12 de jul de 2012

Transitório

Dia sem vento, cinzento e nublado. 
A copa das árvores repleta de folhas estáticas
meus pensamentos acompanhavam aviões
meu corpo e cabeça estavam pregados no meio da rota
no céu, um trânsito lento
na terra, muita falta de bom senso
vagando em idéias desconexas e
livros que tornam seres livres
na companhia de imagens  e palavras
absorvendo no silêncio o salto para um possível pulo
indo feito uma criança na direção de presentes
indo ao encontro do namorado que acabou de voltar da guerra
abro os braços
abro os olhos
abro o peito
estou hoje mais livre que ontem e menos que amanhã
correndo na direção errada
batendo em portas fechadas
de puras fachadas que não se sustentam sozinhas
perdido muitas vezes na rua, na escuridão das horas da madrugada
mas sempre buscando resposta dentro, internamente
jamais no exterior
jamais em tudo o que está fora
não serve
não presta
tudo o que de fato importa e funciona bem,
é o nosso corpo
é a nossa mente
de resto, um pouco de crise
uns dias de drama
e qualquer dor, rejeição ou perda são passageiras
a vida sempre se repete
feito no filme
feito na novela
feito nas mesmas histórias escritas por tantos anos
feito um tolo que jamais esquece do passado
feito um louco
vai vagando assim
por esse rio de incerteza
de indecisões
E todos os destinos incertos possíveis, é por aí que ele vive divagando
em muitas horas só vagando.

Nenhum comentário: