Páginas

22 de mar de 2013

Um verme esquisito

Feito tropas alemãs derrotadas na guerra
feito um cão desolado e perdido no meio da escuridão da noite
feito qualquer abutre sujo
feito uma mosca no lixo
feito um morto moribundo e crackeado
quando se tem um anjo na vida
quando se tem uma mulher tão maravilhosa
e mesmo assim  você faz tudo errado
machucado por mim mesmo!
derrotado feito um animal abatido por qualquer humano idiota
e ao saber que o humano idiota em questão é o próprio humano narrador desta cena triste
não há mais meio termo
não há mais
foi-se
feito um pássaro que flutua e sobrevoa de tão leve
no bater de asas
no escuro do quarto
na cama doce e rosa
um verme esquisito
não se passa de um parasita
triturador parasita
feito um verme esquisito
que não aprende
que mesmo fudido age feito um verme parasita
não!

21 de mar de 2013

Instantes acabam a eternidade

O instante em que de repente tudo pode ir por água abaixo
feito móveis que desaguam no fim da rua naquela chuva intensa
feito a frase dita incompleta
feito um bicho imbecil e humano demasiado
ele precisa de quantas porradas na cara?
a vida vai e te soca a face e sem forças você cai no chão
a vida vem, te soca a cara e você não é bicho
você deveria possuir um pingo de razão pra parar e refletir e agir feito um ser humano
com virtudes
delícias
qualidades
mas se preferir ser verme, ser bicho
o caminho é esse
solitude
embriaguez
não acredito que seja o que se quer
não admito que seja o que quer
acabar no hospício de frente pra parede
louco feito qualquer bunda mole egoísta e egocêntrico
os momentos são únicos
não sinta após perder
não perca a chance de ser
não!
não!

18 de mar de 2013

Mulhes fatais

Elas arrasam o coração de um homem
e eles pensam em morte 
ou assassinato  
e dão porrada em suas belas faces pois estão com o coração partido
ela gritou o fim do amor
ele chorou feito uma criança sem mãe na escuridão da rua
feito um cachorro abandonado
quis bater a cabeça contra a parede
quis encher a cara de múltiplas latas de cerveja
e bebeu inúmeras doses de uisque
elas acabam com a saúde de um homem e não é fácil reconhecer em sua bela face tamanha maldade em sua doçura espetacular
ela não teve pena dele caído de joelhos na sarjeta da rua
ela não tem piedade
ela definitivamente quer estraçalhar o máximo de corações e colocar tais músculos na prateleira do seu quarto
ninguém entende essa dor, rapaz.


6 de mar de 2013

Aquelas duas

E de repente começa a chover no Rio de janeiro
uma terça-feira de março, final de verão e havia amor, sentimento e sentimentalidades no ar das ruas
impregnados em quartos
eram duas mulheres jovens que aprenderam com os dias que o significado da vida estava na beleza e suavidade de sensações
de emoções comprovadas 
elas desde um tempo atrás não se desgrudavam mais
eram vorazes com suas horas
eram amantes em seus quartos
estavam tomadas por romance
aquelas duas  pessoas
falavam em sair por aí
em loucuras
faziam tudo juntas
dividindo intimidades
contando segredos no escuro 
gargalhando por ruas
bebendo em bares
uma era santa, a outra louca 
e ambas santas e loucas
eram de verdade
lutaram em busca de viver o que estavam sentindo
nadaram contra forças e opniões
não estavam nem aí pra qualquer burburinho que tentasse estragar as coisas
uma visitava diariamente a casa da outra
falavam em uma mesma
em como seria
em filhos
cães
estavam viciadas nelas mesmas
cada uma de um jeito
as duas assim
houve choro
houve dúvida
houve medo
e agora há tudo que o encontro traz
é amor, amor, amor
que ecoa em cabeças
que faz acelerar o peito e estimular o coração
que suaviza as feridas com a presença
que felicita o ser com a mesma e frequente pessoa.

Nada pode nos parar

Não sabe como começou mas quando viu já tinha sido tomado
cada parte de corpo
cada parte de razão
tudo era assim
tomado por aquele sentimento de posse que aprisiona o peito
era estranho o modo como esse sentimento tomava conta 
do seu peito
do seu peito
do seu coração
sempre tão selvagem
feito bicho
mas agora tinha sido tomado pelos brilhos daquele olhar negro
ela chegou em seus dias vorazes, vorazes dias
e enfim sacudiu o que até então estava estagnado
os raios de sol brilhavam lá fora e então caminharam livremente
foi então que enfim surgiu o sentimento bonito
não!
nada poderia estragar
mas o no mundo tem maldade
mas no mundo tem maldade



1 de mar de 2013

Divaga divaga e nada

Você não quer o que sou, 
quer apenas a projeção do que posso vir a ser se consertar todos os defeitos do meu ser
mas seu eu deixar essa intrusão tão visceral deixarei de ser quem sou pra ser quem você gostaria que eu fosse e 
aí de nada adiantaria
não sou perfeito
ser humano burro idiota imbecil 
todos estão aqui para erros idiotas 
medidas hipócritas e 
comentários imbecis
estamos todos nos enganando
fingindo amar amor
mas e a dor do resto do mundo?
quem é que se importa de fato com o outro?
olhe em volta e veja quanta gente como eu ou você dormindo em ruas frias e imundas
abra a porta de suas casas e dê seu amor
divida seu salário
o ser humano está em queda livre
e olhos de piedade estão mascarando sentimentos escondidos por duras feridas passadas
não!
para mim chega
pego os meus trapos necessários e vou em busca de dentro
daquela essência que brilha
onde há luz
volto meus interesses para dentro
não!
eu preciso melhorar o mundo
mas se melhoro meu modo de vida e meu estado evolutivo
assim o mundo evolui
a contribuição é insignificante
mas é necessária
não esperar nada de que está externo é um bom sinal de avanço
meu cachorro preto me completa mais que qualquer coisa que existe
ele me dá amor através de seus olhinhos piedosos
e eu retribuo com beijos e carinhos e rolés por aí
sem fim
mas há o fim
o copo secou
o peito parou
e eu fui por aí
estarei sempre aqui
mas agora eu fui por aí
pra dentro da própria consciência na tentativa desesperada de ser um pouco melhor que ontem
e são olhos de condenação
são penas desnecessárias
não me importa tua falta de coragem
ou tua doçura mentirosa

Sistema caótico

Estão todos correndo atrás do próprio rabo
nesse mundo selvagem egoísta e cego
todos engolidos por egos e ganâncias
saia do óbvio
quebre a casca desse ovo que foi deixado aí por qualquer galinha
eles correm em coletivos lotados para não chegarem atrasados
sinto nojo do ser
dessa criação divina fracassada
desse estado evolutivo imbecil
eles não olham para os lados
um cão agoniza em praça pública e todos correm em busca do potinho de ouro
desespero no meio da rua
choro de dor
sinto dor nas patas que não tenho
sinto piedade em seus olhinhos que me engolem implorando ajuda
mas sou humano
fracasso e erro
um erro ambulante 
esse dia nublado
essa sexta-feira que chora calado no meio dessa multidão de gente cega que passa e não liga
estão todos surdos
e os surdos estão ouvindo o mundo
estão todos cegos e os cegos encaram o mundo com os olhos da alma
estão todos burros
e a natureza chora e eu choro com ela
está tudo nublado
ele agoniza em praça pública e possíveis ajudas correm atrás de seus próprios rabos
mulas do sistema buscam um lugarzinho de merda dentro de paredes de concreto
eles esqueceram de que estamos todos em busca de amor
mas há guerra
e ódio
e o adulto é triste e solitário, como disse Clarice naquele livro incrível
ou você vira marionete do sistema ou foge da realidade desagradável de um mundo pobre
a vida está pobre
estão todos olhando para umbigos no epicentro de seus próprios corpos
sinto pena deles.