Páginas

22 de dez de 2009

Estabilidade na vida!
"Bem que isso não tem nada a ver contigo!"

Nunca me preocupei muito com dinheiro
Estabilidade
Equilíbrio
Fui deixando as coisas acontecerem
Seguindo o ritmo
A vida
O caminho
Desviando de obstáculos
Mas seguindo
Fui gostando
Olhando
Sorrindo
Bebendo
Fumando
Sorrindo
Gargalhando
Fui indo
Pra lá
Aqui
Com dois
Com três
Amigos
Irmãos
Amores
Seguindo o caminho de terra que nos leva a praia
Que me deixa tranquila
Não planejei nada
O único objetivo de vida
é ser feliz
Até na dor
Buscar algo que alivie
Na leitura
No cinema
Teatro
Jornal
Livros!
Conversar com amigos na mesa de um bar
Sem hora para ir embora
Com tempo de fazer a cabeça e gargalhar de doer a barriga e o maxilar
Vai junto
Ops!
Vem junto
Comigo
Com a gente
Vem junto
Vem nessa
Vamos!
Juntos
Todos
Eu fico impressionada com a capacidade de ruindade das pessoas
Tanta gente doente querendo viver
Querendo mais um minuto
E tem uns retardados que fazem mal para as crianças
Como pode?
Me pergunto como um idiota desse quando coloca o travesseiro na cama nas noites se sente?
Espero que bem atordoado
Não merece dormir
Não merece viver
E morte é pouco
Tenho ódio no coração só quando vejo maldades deste tipo
Criança, inocência, indefesas
Como pode?
Um padrasto que introduzia agulhas no corpo de um menino de 3 anos
Um pai que deixa o filho cair da janela
Um homem que quase estupra uma criança de 4 anos
Que isso?
Gente!
Olha o dia
E todo esse colorido de um céu azul
Um verde imenso
E beleza intensa
A vida vale a pena
Mesmo que tudo esteja difícil
Não maltrate ningúem
Só a você mesmo!
Viva!

Mais uma morena!

Um sorrido de menina
Um ar pacífico
Um olhar sereno
O cabelo dando um estilo diferente
Na verdade
Todo o rosto era diferente
E ela se destacava de um todo
Tinha uma luz própria
Que iluminava os seus passos e atraía meus olhares
Gente!
Como dou mole
Como entrego que quero assim
Tão fácil
No primeiro minuto do primeiro tempo
Foi o olhar
O perfume
Sei lá
Quando surge descontrola tudo!

18 de dez de 2009

SAIA DO ÓBVIO

E toda essa gente apegada a sexo
A um ato reprodutivo
Nomeado por Caetano em música
HETERODOXO!
Não!
Enclausurados em uma possibilidade
E o pior de tudo
Aceitam este argumento
É o pulo
Um mergulho de cabeça no outro
Nos olhos
Comendo
Uns olhares que promovem a festa no corpo
Porra!
Lá dentro
Pênis?
Vagina?
Um simples detalhe
Ainda bem que a vida muda o tempo todo
Vê se muda
Sai dessa bolha que te impede de dar o salto
É o mergulho em água que rompe grilhões
Derruba parede
Destrua as janelas
Chega de dar nomes a tudo que se faz, quer ou deseja
Sinta!
As emoções canalizam sensações incontroláveis

Quando notares estás na beira do abismo

Essa carência toda sempre tão explícita no olhar de cada pessoa
Na busca sem fim por algo além
Chega de miséria
Aqui não!
Afeto demais
Cachaça além da conta
Possibilidades
Encontros
Desencontros
Informação em excesso

14 de dez de 2009

O problema de tudo, CULPA

Este sangue que escorre no meu rosto
Feito de água
Que salta dos olhos
E dessa dor que tá lá dentro
E dói por dois minutos
Que bom que não sou triste
E isso provavelmente passa em 10 minutos
Pego as chaves do carro e uma lata de cerveja e saio
Sem direção
Até que chego no bg
Pego mais umas cervejas
Encontro amigos
E de repente ela surge deslumbrante
Desfilando na rua como se fosse em Paris
De madrugada
Com as idéias meio soltas
Sem medo
Amarras
E pára
Me olha
Fala comigo
E eu sinto as tais sensações de antes
Que esta presença causa
Meus amigos sabem disso
Porque está muito óbvio no meu olhar
Super contemplativo
E me chamam
Mais cerveja
Vem
Vamos!
Tá vazio
Fico parado ali em pé
Na frente dela
Sem saber o que fazer
Meio bobo
E falo qualquer besteira para disfarçar
E ela me dá um beijo e segue com os seus amigos
Uau!
Porque me causa isso?
Pensando fico depois que vejo que ela partiu
Não tenho explicações
E meus amigos me abraçam e não deixam que eu fique triste
Eles sempre disseram que ela não valia nada
E eu sempre achei que era o contrário
Quem perdeu aquela companhia fui eu

Pra que serve HETERODOXO?

Eles são apegados a sexo
Este ato simples reprodutivo
Um cliché nomeado de HETERODOXO por Caetano em música
Enclausurados em uma única possibilidade
Aceitando este argumento bobo
Não aceito e nem entendo como algúem consegue controlar o gostar
Não mergulha de fato no outro
Porra!
Lá na alma
Dentro
Pênis?
Vagina?
Para que ligar para este detalhe
A vida vai mudando o tempo todo
Sente os olhares que provocam a festa no corpo
Muda!
Sai da bolha que te impede de dar o salto
Mergulha de cabeça na água que leva os grilhões
Derrube as paredes
Destrua as janelas
Chute todo esse concreto que te aprisiona
Chega de dar nomes ao que se faz, quer ou deseja
Sinta!
Deixa que as emoções canalizam as sensações incontroláveis

7 de dez de 2009

E viver a vida só de amor

A vida que eles levam
Pulando e sorrindo e sendo
Juntos
Felizes, decepcionados ou brigando
Um café para dois
Um almoço
Um jantar
Cinema
Teatro
Música
Cantoria
Bebedeira
Fumaça
Almoço no domingo lá fora
Talvez chame os amigos para ver o jogo
E ficar aqui
Bebendo
Sendo
Trechos de poesia
Kerouac
Florbela
Ginsberg
E tantos outros
Outro dia te pego lendo Caio Fernando
Morangos mofados
Pensei no que ele poderia fazer
Mas aí ela vira e diz que não gosta
Que é bobo
É vejo que ela não entendeu o que ele quis dizer
Um pouco mais de sensibilidade
Um tato pra o que é delicado
Sereno
Intenso
Doce
Sublime
Excitante


4 de dez de 2009

Não saber qual é o propósito da vida me irrita por horas
Hoje chove e molha tudo lá fora
Aqui de dentro
Fico chateada por não ter o que comer
Nada!

3 de dez de 2009

A gente sai de casa na esperança de encontrar um mundo na rua
De gente
Possibilidades
Amizade
Amores
Baixo gávea mais tarde
Bebedeira
Alegria
Conversa boba
De bar
Todos estão felizes alí
Bêbados
Alegres
E de repente falam em Kerouac
Ginsberg
De todos os vagabundos iluminados e possíveis
De pessoas que aproveitam a vida da melhor maneira
A vida da rua
Da noite
De amores e dores
Mas feliz
Encontrando a tribo de gente que se alegra quando escuta qualquer besteira e promete um monte de mentira
E ningúem fica puto depois que percebe que não tem futuro o que se foi dito
Foi loucura da hora
O pileque fazendo a cabeça e a língua que não pára
E todos falam
Até juntos
No mesmo instante
Vem!
Vai ser divertido


2 de dez de 2009

Vem comigo!

Lá fora o sol
E eu ainda aqui em casa por você
Que não levanta da cama
Que dorme e perde tempo
Tudo bem
Você bebeu demais ontem
Quero dar uma volta
Fazer algo de bom na rua
Quero água na cabeça
Resfrescar o corpo porque está quente demais
Levanta
Vamos
Chega de preguiça
Levanta
Depois de 2 horas
Desfilando com toda calma
Ela diz que ainda tem sol
E que não adianta fazer cara feia
Ah!
Eu digo que cansei de esperar e que agora não quero
Abro uma lata de cerveja e dou um gole
Tudo que eu queria agora
Cerveja gelada
Meio puta com a manhã perdida
Mas nunca deixando de aproveitar a vida
Chega de falar
Não acordou
Perdemos o sol
Chega
Vamos hoje dormir cedo e amanhã vamos para a praia

1 de dez de 2009

Que liberdade contraditória
Artificial
Te deixa ir longe
Livre
Quase um vôo mas tem duração
E esse barato artificial
Te faz querer mais e mais...
Sendo assim você acaba ficando preso a este barato
E ele não é total, fatal
Nem é o mesmo da Gal

Suave e intensa...Nina no piano

Jack desfilando pela América de carro
Pedindo carona
Ao lado de sua garota viciada em morfina
O relacionamento que eles tem é bonito
Ele toma conta dela e ela é completamente louca por ele
Juntos tocam o país de um lado para o outro
Com apenas 9 dólares e uns litros de vinho barato
E ouvindo pelo caminho a Nina tocando lindamente suas
mãos suaves no piano e cantando de forma que paralisa
Só querem ir de um lado para outro
Sem parar
Saindo daqui indo parar no lado contrário do mapa
Sou amigo de Jack desde tempos de colégio
E sinto falta dele
Mas sempre soube que ele era desapegado das pessoas
Gostava de ir para o mato e ficar por dias só ouvindo o
silêncio
O barulho dos bichos
Tudo fluindo de uma maneira pura e calma
E isso aquecia seu corpo
Seu coração
E nesses dias ele arrumava um jeito de olhar um livro que teria em suas páginas um possível
próximo destino
Era disso que ele era
De vento
Cabeça
Corpo
Idéias
Mas sempre foi um cara legal
Gosta de ajudar as pessoas
E você vê que ele faz por que tem vontade
Ele não tem muita vocação para preocupação em agradar
Mas acaba agradando
Ele é lindo
Forte
Sempre jogou muito bem futebol americano e por isso
foi parar na faculdade
Atleta e poeta nas horas vagas
Mas quem escreve sabe que uma idéia surge do nada
E que é preciso tomar nota dela
Pois surge apenas uma vez
E vai embora
Se não ficar no papel
Já era
E Jack sempre me disse que não se pode perder uma idéia
Porque ela pode ser grande
E aí é muito difícil de se perdoar por ter perdido
E esse conselho não sai mais da minha cabeça
Mas não só isso
Jack desde que surgiu em minha vida não saiu mais
Mantenho este meu louco querer e amor por ele
E sabe disso
Mas diz que não vira bicha porque tem muita mulher linda por aí
Sorrio dizendo que sou a mulher mais linda que tem por aí
Daí me chama de bicha e a gente ri
Sinto falta dele

Allen...