Páginas

2 de dez de 2010

ESTRELAS PASSANDO

Dançando no meio da pista
bailando em harmonia com a noite quente
totalmente baratinado
olhando fixamente pro palco

Um lance qualquer surge de repente
e agora me perco sem chão nos olhos deste outro rapaz
ele me olha fixamente
e sinto que no meu peito algo salta descompassadamente
sim!
e ele se aproxima
e eu deixo
acendo um cigarro
estou nervoso
e ele toca na minha mão
e me dá um beijo no canto da boca
agora estou ainda mais nervoso
já não lembro das pessoas
quando enfia sua língua dentro da minha boca
uau
quantas sensações devo eu sentir com um beijo?
muitas
tantas
tamanhas
agora meu corpo todo em festa
e meu peito saltando cada vez mais rápido
ai ai ai
até que ele me pega pelas mãos
e como não resisto
vou com ele
e me chama pra uma cachaça
e eu digo que sim
estou feliz
assim
meu corpo todo em festa
eu sou a festa.

Sentados na mesa do bar
comendo o outro com os olhos
acho que exalo a vontade
de pular em cima do seu corpo
e sentir cada pedacinho de perto
e poder tocar
e lamber
e chupar

E de repente surge um cara
um homem
bem bonito
pega o "outro" pelas mãos
e leva ele pra fora da minha visão
fico ali
meio nervoso
atordoado
sem saber
se acabo de beber
a cerveja e a cachaça
atordoado

Espero por mais 10 minutos e nada
ele não surge
peço a conta
pago
e levanto cambaleando

Faço sinal para o táxi
peço a ele que me deixe em algum puteiro barato
e assim ele faz
porque tenho dinheiro pra dar a ele

Chegando por lá
olho para as moças
e nada de interessante
olho para os rapazes
e huuum
sim!
tem um que me interessa
neste mercado de sexo tem de tudo
chamo o rapazinho de boné
e levo ele para o quartinho feio
fedendo a rato e barata

Me jogo na cama
tiro a roupa
e ele acompanha com os olhos
enquanto acaba de fumar o seu cigarro
ele é um homem forte
tira a blusa e vem pra cima de mim

E neste quartinho barato é onde me isolo do mundo e não penso
simplesmente não penso
me distraio com ele
não sei o seu nome
digo pra ele não me dizer
não quero saber nada
não quero que ele fale coisas pessoais
apenas coisas triviais

Acabou que dormimos abraçados
isolados ainda do resto do mundo
longe da realidade
longe das notícias tristes
ele é um homem bom
pelo menos esta noite

E agora vendo este menino dormindo
visto minhas roupas
deixo o seu dinheiro
pego minha carteira
chaves
e sapatos

Fecho as cortinas e a porta
e me despeço em silêncio.

Apenas durma, garotinho.
Apenas durma.

Nenhum comentário: