Páginas

16 de mar de 2010

Paixões de verão

Eu fiz o que eu pude
E pude tanta coisa em pouco tempo
O doce veneno daquela companhia de verão
E bate uma loucura feito vento
A noite chora de tristeza e molha tudo
Tomo chuva
Fumo
Bebo um chá
E nada acalma o meu peito que salta
Lembro dos sorrisos
Sussurros
Beijos e toques
Lembro o quanto me fez feliz em instantes
Hoje da janela vejo que é rápido
O tempo
Parece que nossos instantes fazem agora parte do passado
uau!
Como estou fraca
Desequilíbrio que veio com uma onda doida de álcool
Ela foi embora e não se despediu
Mais uma vez isso de sentir bate na porta da minha casa
Não pensei em nada
Aceitei tudo
Me entreguei
Dei tudo o que eu tinha
Talvez tenha sido pouco
Quem é que sabe?
Milhares de quilômetros separam nossos corpos
As mentes distantes e confusas
Vou ao bar
Para uma festa qualquer
Preciso ver gente e não enlouquecer
Preciso parar de pensar em como poderia ter sido
POis já foi
Emora eu saiba que eu me entreguei
E fiz tudo o que eu podia

Nenhum comentário: