Páginas

3 de out de 2009

Stoned

Viajo por rios
E ruas
Não quero em casa porta nenhuma
Que entre gente o tempo todo
E fale comigo
Traga cigarro
Sorriso
Papo bom
Pra cima
E vamos soltar a garrafa de vinho
Do bom!
Os amigos sentam no chão
E ningúem que passa entende
Mas todo mundo contente desperta
Medo em quem olha e não pode estar aqui
Por algum bloqueio
Pudor
Bobeira que mantém preservada
Cada pessoa que chega fala comigo
E do nada surge ela
Caminhando lentamente
Prourando encontrar
Me toca pelas costas
Me chama
Diz meu nome
E logo reconheço a voz
Fernanda
O que faz por aqui?
Veio me ver
Quis sentar do lado e me dar as mãos
Não entendendo nada
Porque sabia que não podia ser assim
De simples querer
Nossas mãos juntas
Todo romance explícito
E o público em volta
Uau!
Que loucura
Me pegou de surpresa e gostei tanto
Que não consigo controlar a felicidade
Que salta

Nenhum comentário: