Páginas

22 de jun de 2012

Eric Torff



 havia optado pelo silêncio de seu quarto e o barulho de seus livros
não saía mais como de costume
resolveu esquecer aquela dama cruel
resolveu fugir dos sentimentos que não deixavam suas idéias em paz.


Seu pai falou que de agora em diante teria que dar porrada na vida para conseguir viver
e que toda mulher faz umas sacanagens e depois  vão embora
e era preciso reagir
era preciso sair da lama e seguir o caminho.
E ainda disse para não se entregar como qualquer cachorro vira-lata
era melhor selecionar suas paixões e desejos.


O que Eric não entendia era como selecionar
ele não havia selecionado aquela cara bonita de mulher que um dia vai embora
foi o coração que fez com que ele quisesse cada vez mais um pouco dela
e ela foi deixando
foi dando
e se entregou.


Mas por alguma razão, de repente, por medo 
resolveu sair fora
cair no mundo
conhecer outros caras.

E deixou Eric sem saber de nada
sem sair da cama
sem ter forças para qualquer outra coisa senão abrir mais uma garrafa
ou dar mais uns tiros.


Estava acabado como um homem que chega da guerra
estava semi-morto
estava sobrevivendo aos dias velozes e cruéis
quem já levou um pé na bunda sabe como um ser humano fica


Olheiras
garrafas e mais garrafas acumuladas
cheiro de fumaça e ópio
e cocaína
e maconha
e mais tantas outras substâncias que levassem sua mente para qualquer lugar que não aquele rosto e aquela boca recheada de batom.


Eric resolveu sair em busca de repostas internas
resolveu levantar
e ir caminhar na direção do interior.


Estava disposto e sem medo de conhecer o cara que era
estava disposto a por um ponto final nessa babaquice que é a rejeição
foi se fortalecendo nas horas dos dias
foi seguindo por estradas jamais vistas
por lugares nem tão legais
mas ele decidiu que queria dar um troco na vida
que sim
daria um soco se fosse preciso para melhorar
para sair daquela fossa
daquela merda em que se encontrava por meses.

Nenhum comentário: