Páginas

12 de jul de 2011

Criarei outros bichos, nada de sapos!

Engolir sapos,
meu estômago não aguenta, sinto-me esgotado e cheio.
Muitas vezes estufado diante desta situação.
Não vou abaixar a cabeça pra que você pise na minha razão, por mais absurda que ela seja, ou até mesmo dê alguma lição de moral leviana e infantil, ninguém é melhor do que eu.
Ninguém é melhor do que você.
Somos todos iguais!
A partir de hoje é tudo na tua cara, cuspido e escarrado, não necessariamente nesta ordem mas exatamente assim.
 Dito e feito.
Ação e reação.
( nada de pensamentos e sentimentos que aprisionam e te deixam "bobinho".)

Eu, talvez seja mais normal do que  me veja diante do espelho e do que reflete neste objeto narcísico.
A vida de uns tempos resolveu ser normal, como qualquer "almofadinha", engomado antes da reunião na segunda-feira de manhã.

Como qualquer pessoa que casa e faz filho
e trabalha
e vive assim,
 passivamente.

Normal como todo mundo, todo o mundo, o mundo todo.
(Onde na maioria das vezes me coloco de fora observando esta "ordem" natural da vida e das coisas.)

Nenhum comentário: