Páginas

6 de nov de 2010

A intensidade deixa marcas

Não se sabe ser metade
não dá pra ser de outro jeito
é inteiro
intenso
uma labareda de fogo
meu corpo em chamas
eu sou a chama que flama todo esse fogo
não tem pouquinho
não é meio
é máximo
é tudo
ou nada
e não vem dizer que não dá conta
é só se entregar ao perigo
se joga
mergulha nisso
tem que ser de cabeça
de uma vez
como um susto
o instante que precede o beijo
nossas bocas
mãos
muitos toques
fogo
muito calor
é assim
e pronto
vem
vamos
essa intensidade doida que deixa marcas no corpo, no espírito e no íntimo

Um comentário:

Gabriela Rodrigues. disse...

já poesia? quanta sensibilidade reunida. lindo.