Páginas

20 de jul de 2010

desespero.choque.sedativos.

Uma mulher cria três filhos, mãe solteira. Mulher independente.

Uma mãe que acorda no meio da noite com a noticia de que seu filho mais novo sofreu um acidente, foi atropelado enquanto andava de skate no túnel que estava fechado para manutenção na madrugada de terça-feira. Uma mãe que na manhã de terça recebe a noticia de que seu filho não resistiu a cirurgia . Você perde de repente uma parte, você perde o que é seu, um pedaço do corpo. Arrancam um pedaço da sua alma em questões de segundos.
segunda-feira, 20:57: Rafael liga pra casa e diz que vai sair com amigos pra andar de skate.
1h50 am o telefone de casa toca e é um amigo do Rafael dizendo que ele tinha sido atropelado.
emoções confusas. pensamentos desconexos. medo de perder.angústia.machucaram meu filho, a maior dor de uma mãe! ligo pro Raul e conto o que aconteceu. vou em direção ao hospital. chego lá e fico tremendo do lado de fora. tremendo por saber dos riscos de nunca mais olhar para ele, de nunca mais poder beija-lo e ouvi-lo. jamais poder ouvir sua voz pela casa. receber um sorriso. -lo crescer! de ter que falar dele no passado, de lembrar dos seus momentos, dos nossos momentos!
de não poder perdoar deus neste instante. de querer qualquer coisa pra sumir. pra não mais existir. pra deixar que ele viva. impossível! estou sedada. estou em choque. confusa diante da vida. não querendo comer. beber.respirar.viver.meu filho, meu bebê. meu filho mais novo. meu menino de 19 anos. um homem bom e puro. um músico, jovem e que gostava de adrenalina. pra fazer parte da diversão.pra fugir do tédio. pra brincar com seus amigos na rua. pra sorrir. e eu agora como fico? todo um projeto construído, uma vida. momentos. conversas.brigas.e muito amor. muita dedicação. muito empenho em ser mãe e em ser filho. e nenhuma estrutura pra perder uma parte do que você é.

Nenhum comentário: