Páginas

16 de set de 2009

O menino pega a bola que rola escada abaixo da viela na favela
E logo na frente dele uma boca de fumo
Onde movimenta todo tipo de gente
Crackeado, maconheiro,policial, pó maniac's...
Toda energia ruim naquele buraco
Quadrado
Porque de repente a polícia pode chegar e começar a disparar tiros
E tudo rápido acontece na tua frente e você tenta entender como pode vir a ser o futuro dos meninos
Aí me pergunto o que posso fazer para que outros meninos não passem por isso
E que talvez eles vejam que podem ser algúem se quiserem
O complicado é motivar diante da realidade que acaba dificultando
Barulho de tiro, o tapa na cara do trabalhador e a dura
O desespero pelas ruas e as crianças que correm sem parar
Jogando bola e correndo e não pensando em tanta coisa
Mas é tão desesperador não poder andar por aí livremente
Sair de casa está ficando cada vez mais dificil e vejo que estão todos mais distantes
No individual, de óculos escuro e mp3.
E fazendo isso eu realmente mostro que não me preocupo com mais nada
Mas se a bala atinge a parede da minha casa aí eu coloco mais cachorro, contrato um pessoal para ficar como apoio de segurança e coloco cancela e limito a entrada.
De fato não há direito de ir e vir
Não quero me isolar muito pelo contrário, gostaria de que fosse obrigatório o direito de andar livremente pelas ruas.

Nenhum comentário: